Há cerca de 10 meses que “A Severa”, espetáculo musical produzido por Filipe La Feria, está em lotação esgotada. Ainda que esteja a ser um sucesso, há dificuldades e obstáculos por que o Teatro passa, e este espetáculo em particular não é exceção.

Milhares de espetadores já se deslocaram até ao Teatro Politeama para assistir a mais um sucesso de La Feria. Desta vez, inspirado na “Lenda da Severa” surge “A Severa”, que retrata as “lutas entre os liberais e absolutistas” do século XIX, como explicou Filipe La Feria, mas também como nasce o fado.

“A origem do fado tem uma grande influência no regresso da corte de D. João VI a Portugal, portanto, com toda a influência brasileira. Eles trazem nas caravelas muitos escravos, e são eles que vão para os bairros populares. A Severa é influenciada pela modinha e pelo ‘lundum’, que é a origem do fado, e adapta ao seu espírito cigano esses cantares que os escravos cantavam”.

Neste musical a história de Portugal é retratada e interpretada, mas, de acordo com o produtor, esses motivos parecem não ser suficientes para conseguir levar o espetáculo a outros pontos do país.

Ir ao Porto, a segunda maior cidade do país, é impossível. Segundo La Feria, “há pouco tempo pedimos o Coliseu do Porto para apresentarmos «A Severa» e disseram-nos que tinham a programação toda completa”, sendo o Teatro Sá da Bandeira o único que se mostra disponível para receber o musical, mas, infelizmente, “este espetáculo é impossível de se fazer lá” pelas dimensões e proporções do palco. “Só mesmo quando houver um novo ajuste nos teatros do Porto poderemos ir”, completa.

“Quero apresentar os espetáculos tal como apresento em Lisboa”, afirma, esclarecendo que quando Rui Rio era presidente da Câmara Municipal do Porto, teve o Teatro Municipal Rivoli ao dispor para apresentação dos espetáculos. No entanto, “este executivo tem outra política para o Teatro e não posso ir contra os grandes detentores do poder”.

De acordo com o produtor, “enquanto o Teatro depender da política, estará sempre tudo muito mal. O teatro está muito submisso à política e isso afeta todas as pessoas”. A única oportunidade para ver “A Severa” é no Teatro Politeama. Por esse motivo, centenas de pessoas deslocam-se em excursões até à capital com o objetivo de ver o espetáculo.

No entanto, o que acontece no Porto acontece em mais partes do país, segundo La Feria, que só vê oportunidade de deslocar-se à Invicta quando houver um “novo ajuste” nos teatros do Porto.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com