Em dia do 15.º aniversário de elevação de Rabo de Peixe a vila, o presidente da Junta de Freguesia fez um apelo ao Governo Regional e à Câmara Municipal da Ribeira Grande para que se crie um plano específico para desenvolver a vila. Jaime Vieira falava na Sessão Solene que aconteceu na Junta de Freguesia a 25 de abril, onde também se homenagearam quatro rabopeixenses.

Na Sessão Solene de comemoração dos 15 anos de elevação de Rabo de Peixe a vila foram homenageados quatro rabopeixenses: José Sousa, Francisco de Andrade, José Vieira e José Pimentel, sendo este último o único que não emigrou.

Neste âmbito, para o presidente da Mesa da Assembleia de Freguesia, no dia em que também se comemora a liberdade, é necessário lembrar “os muitos que partiram das nossas ilhas com o coração a sangrar, mas com uma vontade endógena de progredir na vida”, bem como que “foram as comunidades espalhadas pelo mundo, sobretudo as comunidades instaladas no Canadá, Estados Unidos e Bermuda, os grandes obreiros que iniciaram o processo de imigração deste lugar”.

Por outro lado, além de dedicar algumas palavras aos homenageados, Jaime Vieira aproveitou a ocasião para deixar um pedido ao Governo Regional dos Açores e à Câmara Municipal da Ribeira Grande para que se crie um “plano específico” para Rabo de Peixe.

O presidente desta vila disse ser “urgente” dotar a Junta de Freguesia com mais “competências e orçamentos”, e afirmou, na presença do Presidente da autarquia ribeiragrandense, Alexandre Gaudêncio, e do representante do Presidente do Governo Regional no momento, o Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas, Rui Bettencourt, que nem a Câmara Municipal nem o Governo Regional “podem ter medo de aprovar um plano específico para Rabo de Peixe”.

De acordo com Jaime Vieira, os recursos não são suficientes e se mais recursos houvesse, mais este executivo teria feito pela vila e pelos seus habitantes. Em declarações ao AUDIÊNCIA, o Presidente de Rabo de Peixe não acredita haver quem “passe fome” na freguesia, no entanto, admite haver famílias que passam muitas dificuldades. Da mesma forma, também o pároco da freguesia, José Cláudio, conta que ainda existe “vergonha” por parte das famílias em pedir ajuda, e que por isso os membros da paróquia procuram “perscrutar as realidades da vizinhança” para que a população possa ser ajudada não só “materialmente” mas também através de um “direcionamento” espiritual.

Do discurso de Jaime Vieira ficou também a sugestão para serem criados cursos na Escola Profissional de Rabo de Peixe. “Sendo esta a maior comunidade piscatória dos Açores, tem que, forçosamente, ter cursos de pesca. Apelamos ao Governo Regional que possibilite a abertura deste curso”, mas também cursos que explorem as áreas da agricultura e da pecuária, fomentando e impulsionando os jovens a serem empreendedores.
O Presidente da Junta de Freguesia de Rabo de Peixe deixou ainda o apelo a todos “para passar uma imagem positiva de Rabo de Peixe”, desafiou José Vieira (a residir na Bermuda) a criar os “Amigos de Rabo de Peixe na Bermuda” e incentivou o lema “Rabo de Peixe – da Terra ao Mar, uma vila com futuro”.

Também Alexandre Gaudêncio demonstrou interesse em “valorizar a vila de Rabo de Peixe do ponto de vista das belezas que tem para oferecer e da boa imagem que importa passar para o exterior” numa época em que “o turismo se afirma cada vez mais como uma alternativa para a criação de emprego”.

De acordo com o autarca “há que realçar o investimento que tem sido feito ao nível do embelezamento de espaços verdes e potenciação das várias infraestruturas existentes”, dando como exemplo a criação do roteiro turístico das freguesias que permite “a quem nos visita ter um conhecimento mais aprofundado das particularidades” de cada freguesia, proporcionando mais conhecimento sobre as tradições e cultura de cada localidade. Ainda em matéria de investimentos, o Presidente do município ribeiragrandense falou sobre a construção do novo campo de jogos, orçada em 1.7 milhões de euros, que está “contemplada no orçamento da Câmara para o corrente ano e aguarda apenas o visto do Tribunal de Contas para que seja lançado o concurso público”, bem como sobre o desejo em construir o Museu da Pesca “num imóvel que já está na posse da autarquia” e em “requalificar a praça em frente à igreja do Bom Jesus”.

A Sessão Solene contou também com um momento musical protagonizado pelo Grupo Coral do Senhor Bom Jesus em que se cantou os hinos Nacional, Regional e de Rabo de Peixe.

Durante a tarde do dia 25, pela Rua do Rosário e pela Rua Tavares Torres, desfilou o cortejo “Rabo de Peixe Sabe Viver”, um momento que reuniu milhares de pessoas pelo centro daquela vila.

PS de Rabo de Peixe acusa PSD de desvalorizar Rabo de Peixe

No âmbito das declarações proferidas por Jaime Vieira no 15.º aniversário da elevação a vila de Rabo de Peixe, a secção do Partido Socialista de Rabo de Peixe lançou um comunicado dizendo registar “com agrado o desafio que Jaime Vieira fez à Câmara Municipal da Ribeira Grande” para que invista mais nesta vila, uma vez que “desde 2013 não se têm verificado intervenções “dignas de registo” por parte da autarquia ribeiragrandense.

“A Câmara Municipal liderada por Alexandre Gaudêncio tem feito pequenas intervenções pontuais e desregradas e a falta de investimento em Rabo de Peixe é de tal forma evidente que não consegue construir um simples campo de futebol”, pode ler-se.

A secção do PS de Rabo de Peixe diz ser “evidente que os cidadãos de Rabo de Peixe teriam muito a ganhar se ao longo dos últimos anos, em parceria com as instituições e os cidadãos da vila de Rabo de Peixe, a Câmara Municipal da Ribeira Grande fizesse a sua parte” e fosse capaz de “devolver à comunidade” o campo de futebol. No comunicado afirmam ainda que “antes de Alexandre Gaudêncio havia campo de jogos e agora, de há uns anos a esta parte, deixou de haver”.

No entanto, o PSD ripostou, afirmando que 2há muita falta de memória por parte dos responsáveis do PS na Ribeira Grande, que já esqueceram das más opções tomadas da sua gestão do concelho” e recorda que reclamou “da Câmara Municipal e do Governo Regional, a criação de um plano específico para Rabo de Peixe”.

Os sociais-democratas dizem que o atual autarca encontrou em 2013 uma Câmara “sem projetos e sem ideias para Rabo de Peixe”, afirmando ser extensa a lista de intervenções e melhores condições criadas pelo PSD em Rabo de Peixe, como por exemplo “a aquisição de várias habitações para requalificar o coreto, para resolver os problemas dos rendeiros, para requalificar a zona da praça ou para a criação do futuro museu/centro etnográfico e jardim” da vila, entre outros.

Quando ao campo de futebol de Rabo de Peixe, pode ler-se no comunicado enviado pelo PSD que “o PS deixou abandonar e degradar de tal forma que a sua recuperação representava um investimento elevado”, sendo tomada a decisão de contruir um novo campo de jogos, aquela que será “uma das maiores infraestruturas desportivas dos Açores”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com