Depois da cerimónia dos BAFTA (British Academy Film Awards), que é todos os anos, uma noite de glamour e elegância na red carpet, cá no Porto esperamos o regresso do FANTAS.

Se os atores e atrizes, mostraram o seu apoio na luta contra o assédio, em homenagem ao movimento Time’s Up, optando por usar roupas pretas, esperamos que tal situação não encontre eco no nosso festival. A 38ª edição do Festival Internacional de Cinema do Porto, decorrerá de 20 de fevereiro a 4 de março.

“Como sempre um festival de descoberta. Com filmes inéditos vindos de todo o mundo. Serão cerca de 150 os filmes selecionados. De nomes grandes do cinema, outros que o Fantas já foi dando a conhecer ao longo dos anos, outros ainda de “desconhecidos” no panorama cinematográfico em Portugal. Sempre antestreias em Portugal, muitos dos filmes são vencedores de prémios em importantes certames internacionais, outros serão exibidos em antestreia europeia e mundial.

É um Fantas cada vez mais forte, cada vez mais direcionado para os públicos cinéfilos jovens abrindo como sempre portas aos debates, workshops, exposições, apresentações de livros, pequenos espetáculos e muito mais. Vai surpreender de novo o mundo cinéfilo e não só, trazendo ao Porto cerca de duas centenas de profissionais, desde realizadores, a produtores, atores ou atrizes, mas sobretudo esse cinema a descobrir, vindo de todos os cantos do Globo. Num festival com 38 anos lá continuarão as quatro secções competitivas, a do Cinema Fantástico, Semana dos Realizadores, Orient Express e Cinema Português a quem o Fantas dá em cada ano uma importância e destaque muito especial.

Só para abrir o apetite, registam-se as antestreias mundiais de duas longas-metragens portugueses, “Uma Vida Sublime” de Luís Diogo, e ainda “Aparição”, de Fernando Vendrell, dois realizadores premiados, no Fantas e internacionalmente. Ainda o Cinema português com a Homenagem a Lauro António, um dos Prémios de Carreira Fantasporto de 2018. Michael Winterbotton, do qual será exibido a concurso o seu último “On the Road”, receberá outro dos prémios Carreira. Em destaque a retrospetiva do desconhecido em Portugal e internacionalmente famoso realizador chinês (de Taiwan) Chang Tso-Chi e uma deliciosa mostra dos chamados Taiwan Black Movies com filmes remasterizados” (informação oficial do Festival-TMR).

Como sempre o Fantasporto abre as portas às escolas de cinema da cidade, este ano destacamos a participação relevante do Curso Superior de Cinema e Audiovisual da escola Superior Arística do Porto/ESAP com os seguintes filmes, todos eles produzidos e realizados por alunos da escola durante o ano letivo de 16/17. A ESAP marca presença FANTASPORTO 2018, através de curtas-metragens realizadas por alunos do Curso de Cinema e Audiovisual.A Morte de um Amigo, de Bernardo Sanches do Carmo,Correntes, de Lourenço Malcatanho Mistério, de Pedro Magano Pinto, Oblívia, de João Monteiro Ship of Theseus, de Francisco Cortez.

A exibição decorrerá no 28 de Fevereiro às 16h, no pequeno Auditório do Teatro Rivoli. Na sessão de abertura oficial, será exibido o filme Marrowbone de Sérgio G. Sanchez de Espanha, um filme do género de horror, em versão original, do argumento destacamos; “Um jovem e os seus três irmãos são acossados por uma presença sinistra no amplo palacete onde vivem.”

O filme foi nomeado para os prémios Goyas do cinema espanhol, e foi selecionado para os Festivais de San Sebastian e Toronto. É a primeira longa-metragem de S. Sanchez, vencedor em 2002 do Prémio de Curta-metragem CF do Fantasporto, produzida por J. A. Bayona (de “Pan’s Labirynth”), que em 2008 foi Prémio Melhor Realizador do Fantasporto com “El Orfanato”. Anna Karenina a obra-prima literária de Tolstoi, muitas vezes descrita como uma das maiores novelas de todos os tempos, volta novamente a ser adaptada para o cinema, desta vez pela realização russa de Karen Shakhnazarov.

Em Anna Karenina: Vronsky’s Story, o filho de Anna Karenina quer saber porque o Conde Vronski arruinou a vida da mãe. Uma megaprodução dos estúdios Mosfilm que abre oficialmente as secções competitivas.

Para além do romance clássico de Tolstoi, o filme mostra numa surpreendente criação de Karen Shakhnazarov, o outro lado da conhecida história de Anna Karenina, a mulher casada que se envolve com um oficial do exército. Sumptuosa recriação da aristocracia russa no séc XIX. O filme foi selecionado para os festivais de Shanghai e Zurique.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com