Felicitar o Jornal Audiência pelo seu 16º Aniversário é reconhecer um percurso de resistência e de defesa da participação ativa na comunidade, de um jornal que, apesar de ter nascido regional, hoje alcança leitores de Portugal Continental e Ilhas.

Passadas estas duas décadas de vida, é com satisfação que vemos que o Jornal Audiência perpetua os valores fundamentais que estiveram na sua origem, e que como um exemplo de dedicação, continua fiel depositário da missão que chamou a si, de proteção da cultura e da identidade tão genuinamente portuguesas.

Acredito que, atualmente os jornais continuam a desempenhar um papel fundamental na democracia, numa época em que o jornalismo enfrenta novos e entusiasmantes desafios, e em que decorrente dessa conjuntura, deve ser reiterado o primado da verdadeira essência do jornalismo como marca que certifica e valida os valores da objetividade, do rigor, da imparcialidade, da independência e da correção, que sei que norteiam o trabalho do Jornal Audiência, hoje, como nos últimos 16 anos.

Este órgão de comunicação social é uma instituição, não só pelo trabalho de divulgação e projeção que desempenha, na região do Grande Porto e no Arquipélago dos Açores, mas também pelo papel regionalista e descentralizador, que protagoniza, dando voz a municípios, a projetos, a pessoas e a histórias que de outra forma não teriam espaço nos media.

Face a este percurso de 16 anos de consolidação, quero desejar à Direção e restante Equipa de Jornal Audiência, os maiores sucessos, fazendo votos que este órgão de comunicação social continue ativo, por muitos e longos anos, ao serviço do debate público, da preservação do nosso património cultural, social e desportivo e do desenvolvimento das diferentes regiões do nosso país.

Parabéns ao Jornal Audiência pelos 16 anos de jornalismo de referência.

O Presidente da Câmara Municipal da Trofa

Sérgio Humberto 

Na sociedade atual os meios de comunicação social estão cada vez mais presentes na vida da população, contribuindo para a sua maneira de interpretar, pensar e atuar.

Os órgãos de comunicação social, independentemente do seu meio, têm um papel fundamental no desenvolvimento de uma sociedade principalmente na difusão da informação e do conhecimento. Nos dias de hoje é essencial não descurar a evolução da tecnologia inerente à difusão dos seus conteúdos, não se podendo ainda negligenciar a importância da evolução digital, premissa inevitável, e que coloca em risco a definição dos meios de comunicação, reestruturando seu papel de forma inédita através da sociedade da informação.

No entanto “não há bela sem senão”… a evolução digital e a facilidade no acesso à informação contribuíram para a disseminação das denominadas “fake news”, fenómeno global de grandes proporções e consequências alarmantes.

Apenas com uma comunicação social plural, possante e isenta, com profissionais que respeitam a lei de Imprensa, a deontologia e a ética, necessária e tão importante para o exercício da profissão, será possível continuar a contribuir para elevar o nível de informação e conhecimento da sociedade tornando-a intelectualmente mais informada e dotando-a de “saber” para que possa atuar.

A este nível congratulo o jornal Audiência pelo seu décimo sexto aniversário. Sobre o lema “dá voz a quem não tem”, tem ao longo de quase duas décadas contribuído para a difusão da informação, nos concelhos do Grande Porto e mais recentemente no concelho da Ribeira Grande. Numa altura em que todos se questionam sobre a sobrevivência dos jornais em papel é de salutar a resiliência e principalmente a coragem de diariamente competir com a instantaneidade desta era digital.

Ao Audiência desejo que continue a dar notícias ao longo de muitos anos!


João Dâmaso Moniz
Presidente da Junta de Freguesia da Ribeira Seca

UMA “AUDIÊNCIA” HÁ 16 ANOS…

Foi por casualidade que conheci o “Audiência”. Não foi há tantos anos quantos o Jornal festeja, mas também já foi há bastantes. Com ele, conheci o seu Diretor e hoje meu Amigo, Dr. Joaquim Ferreira Leite e a sua luta por uma comunicação isenta sempre ao serviço de quem precisa. Era o tempo do seu lema “Dar voz a quem precisa” e deu-me. Criámos uma amizade, que a bondade de Ferreira Leite muito me cativou. De então para cá, voluntariamente, tem apoiado todas as minhas produções teatrais e a minha luta por um Parque Mayer com um autêntico teatro de revista, a fórmula mais portuguesa do nosso teatro. E é o que aqui no Teatro Maria Vitória continuamos a produzir, ao mesmo tempo que apostamos em novos valores, lançando jovens talentosos, que nos garantam já e para amanhã, um teatro crítico, cultural e social, sem ofensas e sem palavrões. É o que procuramos e temos conseguido produzir.

Durante a vida desta amizade, já tive a honra de, numa das espetaculares Galas do “Audiência” ocorrida em Vila Nova de Gaia, ter recebido o “Prémio Excelência 2010” e mais tarde, noutra Gala na cidade do Porto, no Teatro Sá da Bandeira, o “Prémio Artes & Letras 2014”.

Por intermédio do seu Diretor, conheci bons Amigos que se mantêm no presente, sendo certo que Joaquim Ferreira Leite é um autêntico fazedor de amizades, que apresenta entre si e depois os deixa seguir o seu percurso.

Hoje o Jornal “Audiência” já faz parte da minha vida e da minha família, pois acompanha-nos, quer na minha vida pessoal, como profissional e familiar. No Teatro Maria Vitória, o “Audiência” é por todos muito estimado e respeitado.

Com os seus 16 anos, o Jornal expandiu-se de Vila Nova de Gaia para o grande Porto e já para os Açores, especialmente para a Ribeira Grande, onde começou a ser uma marca de referência.
Nesta passagem de Aniversário, saúdo o Jornal e quem nele trabalha ou para ele colabora, com um abraço muito especial para o meu Bom Amigo e seu Diretor, Joaquim Ferreira Leite, a quem apresento os meus muito sinceros PARABÉNS.


Hélder Freire Costa

(Empresário e Produtor do Teatro Maria Vitória – Lisboa)

16 anos é muito tempo, muitas entrevistas, muitas reportagens realizadas.

Foi com agrado que aceitei o convite do diretor do Jornal Audiência, o Ferreira Leite, para escrever um texto sobre os 16 anos de existência do “seu” e “nosso” Audiência.

Este jornal que “nasceu” em Avintes, inicialmente um mensário com o título de Notícias de Avintes, foi por isso primeiramente o jornal da freguesia, mas ao longo da sua vida, mudou de nome e foi naturalmente alargando horizontes, procurando novos leitores, passando para semanário concelhio em Vila Nova de Gaia e mais tarde aumentou a sua área de cobertura jornalística, para todo o “Grande Porto”, chegando até à Região Autónoma dos Açores, à Ilha de S. Miguel.

Esta ligação inicial do jornal a Avintes fez com que eu fosse o seu assinante nº 1, facto que me leva a manter um carinho especial por este órgão de informação regional.

A vida dos jornais regionais nunca foi fácil, ainda menos na atual era “digital”, a que o Audiência naturalmente também aderiu e até com algum sucesso e a vida do Audiência é disso exemplo, mas com mais ou menos dificuldades, tem conseguido manter-se “à tona da água”, muito pela perseverança e dedicação do seu diretor e dos seus colaboradores.

Com uma linha editorial em que a independência é a sua “marca d’água”, tem desenvolvido um trabalho interessante na divulgação dos “pequenos acontecimentos”, das iniciativas e atividades das coletividades locais, ao nível cultural, desportivo e social, não deixando também de abordar a política local.

Espero por tudo isto que acabei de referir que o Audiência prossiga o seu percurso, mantenha a sua linha editorial e possa continuar a dar voz a todos, “grandes” e “pequenos”, por muitos e longos anos.

Parabéns Audiência, parabéns Ferreira Leite.

Cipriano Castro

Presidente da Junta de Freguesia de Avintes

Como afirma António Guterres, uma imprensa livre é um pilar indispensável de qualquer sociedade transparente e democrática e coloca as forças no poder diante das suas responsabilidades.

Ao longo destes 16 anos o Jornal Audiência tem tido um importante papel na afirmação da democracia em Vila Nova de Gaia. Que assim continue percorrendo este exigente caminho, numa sociedade onde por vezes alguns tentam subverter valores e estrangular opiniões.

Conheci pessoalmente o diretor do Jornal Audiência Joaquim Ferreira Leite decorria o ano de 2010. Exercia na altura funções de deputado da assembleia de freguesia de Pedroso, e desde essa data que sempre mantivemos uma admirável amizade e respeito profissional.

Faço votos para que continuem a ser a voz que as pessoas e as instituições de Vila Nova de Gaia necessitam, num processo de informação transparente que se traduz num fortalecimento da democracia.

Os meus parabéns ao Jornal Audiência e a toda a sua equipa pelo 16.º aniversário e que continue a dar voz a quem não tem por muitos e mais anos.

 Filipe Lopes

Presidente da Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo

De sonhos se faz jornalismo

No mundo em que vivemos, caracterizado por fluxos intensos de informação, que atravessam continentes ao clique das teclas dos equipamentos digitais, somos muitas vezes arrastados por esta onda de globalização da nossa existência, esquecendo que a verdadeira forma de mudar a vida no planeta Terra começa com ações concretas junto das nossas famílias, vizinhos e amigos, em prol de mais qualidade de vida para nós próprios e para as comunidades onde estamos inseridos. A necessidade de um olhar atento sobre as realidades circundantes remete-nos para a máxima divulgada internacionalmente que dita que a regra de sucesso para um mundo melhor é “Act Local and Think Global”.

 As considerações aqui expressas, em jeito de contextualização, vêm a propósito da celebração dos 16 anos de existência do Audiência no país, dos quais quatro com uma presença efetiva nos Açores, num projeto inédito que visa ligar duas regiões de Portugal, detentoras de uma história e património cultural riquíssimos. Falamos da área metropolitana do Porto e do Concelho da Ribeira Grande, na ilha de S. Miguel, Açores.

Ao colocar-se ao serviço destas duas regiões, separadas pelo Oceano Atlântico, o Audiência cumpre a missão primordial de valorização das populações que serve, registando o melhor destes dois mundos e questionando o que mais se pode fazer pelas gentes destes espaços geográficos de Portugal para que tenham o que verdadeiramente merecem nos territórios a que pertencem. 

Porque é impossível falar da mais pequena parcela do nosso país sem atender aos homens e às mulheres que daqui saíram em busca de melhor fado, temos assistido com agrado ao crescente empenho do Audiência em acompanhar o que os emigrantes, oriundos do norte de Portugal e da Ribeira Grande, fazem noutras partes do mundo, dando-lhes também voz num exercício de reconhecimento do valor acrescentado que essas comunidades emigrantes constituem para o país de acolhimento e para a sua terra natal. 

Como bem dizia o poeta, sempre que o ser humano sonha a obra nasce. O jornalista Ferreira Leite, a voz e a alma que têm alimentado este sonho, sabe o verdadeiro valor que o jornalismo que promove tem junto das populações visadas nas suas notícias, nas suas reportagens ou nas suas entrevistas.

O Jornal Audiência, para além de promover o orgulho pessoal e coletivo, é um construtor de memórias futuras, é o garante da busca constante de respostas para os problemas e é um despertar para a  consciencialização de que urge fazer pontes, assentes em valores comuns e direitos conquistados. 

Tratando-se de um jornalismo de proximidade, que aposta na informação e no desenvolvimento das populações locais, o Audiência cumpre o seu desígnio de contribuir para a construção de um mundo melhor.

Por via deste compromisso, assumido junto dos leitores e leitoras fiéis do Audiência, este é um jornal que merece um carinho especial por parte dos locais e maior apoio das estruturas governamentais, cuja função é promover a cultura e divulgar a informação junto dos cidadãos e cidadãs, únicos caminhos capazes de elevar a fasquia da literacia e do livre e democrático exercício da cidadania.

Em jeito de celebração mais do que merecida, o nosso brinde com votos de muitos e longos anos de vida para o jornal Audiência, para o seu proprietário, Dr. Ferreira Leite, e para todos os colaboradores e colaboradoras que tornam o sonho em realidade em cada edição deste importante órgão de comunicação social que, recorde-se, nasceu para dar voz a quem não a tem e que continua esta sua luta com desapego e espírito de serviço público. Parabéns!

Graça Castanho

Docente da Universidade dos Açores

Tal como muito Gaienses que acompanharam a vida do Audiência, é com enorme honra que aqui manifesto o meu reconhecimento pelo trabalho de informação levado a cabo quase desde o início deste século XXI.

O jornal Audiência não é indissociável da figura do seu Director, Joaquim Ferreira Leite, um homem que vive a informação com intensidade, argúcia, empenho e perseverança, atributos que também o tornaram uma personalidade de grande relevância para a intervenção cívica no nosso meio, seja a nível concelhio, mas também a nível regional.

Essa forma particular de valorização da intervenção cívica e de escrutínio da politica que se desenvolve em proximidade aos eleitores ficou particularmente patente quando fez uma incursão pela televisão regional, onde criou programas de análise, comentário e critica que se tornaram uma referência, quer para quem os pode ver, quer para quem neles participou.

A sageza de Joaquim Ferreira Leite permitiu-lhe sempre acompanhar, também com a mesma atenção, as grandes questões nacionais de Actualidade, como se alcança percorrendo as 341 fotografias das capas do Jornal Audiência, já publicados!

Por isso mesmo a minha especial saudação ao Jornal AUDIÊNCIA, ao seu Director e a todos quantos ao longo destes anos o tornaram possível!

As maiores saudações do,

Albino Almeida

Presidente da Assembleia Municipal de Vila Nova de Gaia

O jornal Audiência está a comemorar o 16.º aniversário e pela efeméride quero, em meu nome e em nome da Câmara Municipal da Ribeira Grande, felicitá-lo por completar mais um ano de vida numa altura em que a Comunicação Social local, regional e nacional atravessa períodos difíceis devido às dificuldades que são conhecidas.

O jornal Audiência está de parabéns mas também merecem as mais reconhecidas felicitações a equipa que está por trás dele, muito em particular o seu diretor, Joaquim Ferreira Leite, incansável na labuta diária para que a informação seja a mais fidedigna possível.

Uma palavra de apreço aos demais colaboradores, aos que permanecem no projeto e aos que já saíram, pois o presente só existe com passado e só conhecendo o passado podemos abraçar o futuro com segurança e confiança.

Colocar um jornal na rua é um trabalho exigente que requer dinâmica e merece ser reconhecido. Acima de tudo, é um trabalho feito por quem gosta e retira prazer da profissão que exerce. E quando assim é até as tarefas mais difíceis se tornam fáceis de executar. É caso para dizer que quem corre por gosto não se cansa.

Ao jornal Audiência e a toda a sua equipa desejo uma data feliz e faço votos para que o futuro lhes sorria. Parabéns.

Alexandre Branco Gaudêncio

(Presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande)

O “AUDIÊNCIA ” que agora completa 16 anos de existência, após algumas alterações, mas num contínuo serviço à informação das comunidades locais que serve, ocupa um espaço na comunicação social de respeitabilidade isenta que no meu ponto de vista exerce a sua função duma forma livre, atenta, crítica, isenta, mas com princípios que vem sendo reconhecido pelos seus leitores.

Nesta oportunidade, importa relembrar e deixar uma palavra de apreço a todas e todos profissionais e colaboradores que ao longo destes anos, contribuíram para a existência deste prestigiado jornal, dando voz livre a todos que necessitem, bem como prestando informação do Grande Porto e dos Açores. Aos proprietários e Diretores que estiveram na origem da sua fundação e que perseveraram sempre os princípios acima descritos, especialmente ao Joaquim Ferreira Leite, amigo que muito estimo, deixo os meus parabéns e os votos das maiores felicidades na prossecução dos objetivos profissionais que levem a efeito e também nas suas próprias vidas pessoais.

Recordo as adversidades que foram combatidas e que deram maturidade e notoriedade ao Jornal e seus profissionais, mas também lembro iniciativas louváveis onde se destaca inquestionavelmente de grande sucesso das XIV Galas do Audiência que se realizaram em Vila Nova de Gaia, no Porto e ultimamente na cidade da Ribeira Grande nos Açores, onde já foram distinguidas centenas de Instituições e Personalidades que não mais apagam das suas memórias esses momentos, mas também não escondem a sua  gratidão aos responsáveis da iniciativa, onde também aconteceram grandes momentos de cultura protagonizados por artistas consagrados, mas também onde se deram visibilidade a tantos jovens para desenvolverem os seus talentos. Sem estes e muitos outros passados a vida não faria grande sentido, nem valeria tanto para a convivência de todos os cidadãos que deles usufruem, afinal, informar com verdade e sem sensacionalismos não é coisa fácil, mas o Audiência, à sua dimensão tem-no conseguido.

São estes passados relevantes que darão consistência a um futuro melhor e promissor que todos esperam para este Jornal e seus colaboradores que certamente todos ambicionam e desejam.

Tenho ao longo destes anos, para o Audiência, produzido alguns escritos, dado entrevistas, tendo sido notícia como dirigente associativo, como autarca e cidadão, de tudo guardo gratas recordações, mesmo de algumas que não me sendo favoráveis testemunharam a minha personalidade e convicções, espero continuar a merecer a vossa consideração o que acontecerá reciprocamente da minha parte, Felicidades.

César Oliveira

Ex-Presidente da Assembleia Municipal de Vila nova de Gaia     

“A imprensa regional vive um conjunto de novos desafios, ora fruto da emergência das redes sociais, ora fruto da desigualdade face aos órgãos de comunicação social de âmbito nacional. Isso releva para um jornal como o Audiência, cumprindo 16 anos, mas seguramente querendo cumprir “apenas” os seus primeiros 16 anos.

Face a tais desafios, importa o reposicionamento e e reforço da relação de proximidade. Mais envolvimento com as comunidades locais, mais valorização das pessoas com funções mais ou menos mediatizáveis, enfim, começar por voltar às origens. Só assim pode a imprensa local ser o verdadeiro repositório da História local e cumprir uma missão mais forte e duradoura.

O jornal Audiência pode e deve estar atento aos novos desafios, responder-lhes sempre com criatividade e projetar os caminhos para os próximos 16 anos.

Felicidades e parabéns pelo caminho percorrido.”

Eduardo Vítor Rodrigues

Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia

Tal como a água corre ininterruptamente nos mais de 1500 km da rede de distribuição da Águas de Gaia, também a informação hoje em dia é continua e instantânea! É no entanto, neste mundo on-line vivido ao segundo, onde o conteúdo pouco conta e o titulo é o que mais importa, que mais sentido faz a existência da imprensa local! 

A imprensa local, tem um papel fundamental nas sociedades, porquanto são defensores das culturas locais e das comunidades, garantindo assim a divulgação do que mais genuíno existe na “nossa terra”, de forma personalizada e em regime de proximidade, características já pouco preservadas no mundo global.

É por isso, de realçar os que insistem (e bem) em manter projetos locais de comunicação social, fazendo votos para que continuem a ser “positivamente teimosos” e assim mantenham os seus projetos editoriais.
Ao Audiência que celebra 16 anos de vida, desejo isso mesmo… que continue! E que possamos continuar a celebrar os seus aniversários, pois significa que continuaremos a celebrar a imprensa local e o nosso sentido coletivo de comunidade!

Parabéns!

Miguel Lemos Rodrigues Administrador Executivo Águas de Gaia

  

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com