A médica Mayerling Zabala Galet aceitou o convite do AUDIÊNCIA para um jantar leve e saudável. Foi num ambiente simples e calmo que nos falou gentilmente da sua experiência profissional e de Vila Nova de Gaia, cidade que escolheu para viver, com o seu marido, o neurocirurgião David Pereira, um grande profissional na área de medicina e o seu filho David de 12 anos.

 

 

Para quem não conhece, fale-nos um pouco de si.

Sou de naturalidade venezuelana e deixei o meu país há oito anos para morar em Espanha e há dois anos que estamos em Portugal. Sou médica especialista em pediatria e puericultura pela Universidade Central da Venezuela, e também especialista em alergologia. Além disso, sou conselheira em aleitamento materno, com uma pós-graduação em nutrição pediátrica pela Universidade de Cadiz, e conselheira alimentar em Baby Led Weaning (Técnica de introdução alimentar para bebés desde os seis meses de idade).

 

Porque escolheu esta profissão?

Em criança queria ser jornalista. Gostava muito de escrever, de ler e de falar com as pessoas. Depois, na adolescência, achei que gostava muito de ciências. Gostava muito de biologia e ver séries cientistas. Então, comecei a ter esta inclinação pelas ciências e, um dia, decidi que queria ser médica. Comecei a estudar, para obter as classificações que são exigidas nas universidades para seguir esta carreira. No início não tinha nenhuma preferência por alguma especialidade. Gostava de tudo. Cirurgia, neonatologia, mas quando estava no meio da carreira, quando fiz o meu primeiro estágio em pediatria soube então que queria ser pediatra e pus todo o meu coração nesta carreira.

 

Porque escolheu a cidade de Vila Nova de Gaia?
Eu nasci na cidade de Maracaibo, a oeste da Venezuela, é uma cidade muito quente, com uma gastronomia espetacular. Vivi na minha cidade até terminar o curso de medicina, mas terminei a especialidade na capital Caracas, onde vivi 11 anos. Quando decidimos morar em Portugal, queríamos uma cidade que não fosse tão grande, mas fosse acolhedora e tranquila. Como já morei em cidades muito grandes, queria algo mais calmo e perto da cidade do Porto. Gaia era uma boa opção e gostamos muito de viver aqui.

 

A sua especialidade é nutrição infantil. As crianças gaienses têm uma boa alimentação?

A alimentação infantil tem a ver muito com cultura de cada país. Tenho encontrado famílias em Gaia que são vegetarianas e, numa época em que as dietas são muito industrializadas, existem pais que escolhem dietas saudáveis para os seus filhos. Esse é o objetivo na alimentação infantil.

 

Qual a reação de uma criança, quando numa consulta consigo, sugere que coma mais vegetais?

As crianças são muito nobres, por isso é que gosto de ser pediatra. Elas percebem bem muito bem as coisas que lhe explicamos, e quando falo sobre alimentação, não faço só para os pais, faço-o para as crianças. Nas minhas consultas, uso uns peluches em formato de vegetais, e pergunto o que eles comem. Eles sabem quantas porções de fruta devem comer. Se os pais se enganam nas quantidades eles mesmo corrigem e dizem a porção correta que são as cinco peças de fruta por dia. É importante ouvi-los e falar direito e direto com as crianças, e quando estão envolvidas na decisão, conseguimos bons resultados, elas colaboram e já tomam cuidado com as escolhas dos alimentos.

 

O seu trabalho como pediatra vai mais além do seu consultório?

Eu tento que as famílias não fiquem com dúvidas, se as tiveram ligam-me, mas, geralmente, tento que tudo fique bem esclarecido, eles levam um plano com as indicações precisas, não para mudar tudo num dia, mas para conseguir os objetivos aos poucos. Queremos propor mais hábitos saudáveis, menos horas em frente aos ecrãs, o objetivo é conseguir que pratiquem mais atividades ao ar livre.

 

Deve ter um sonho, pode-nos revelar?

Eu tenho um grande sonho, quero trabalhar exclusivamente na promoção de uma alimentação saudável durante primeiros dias de vida de um bebé. É um período muto importante de uma criança, desde que estão na barriguinha da mamã até aos dois anos de vida e que podem fazer diferença no futuro da sua saúde. Gostava também de promover um centro de aleitamento materno e nutrição saudável acessível para todos os pais, e seus filhos, onde possam conseguir informação sobre o aleitamento materno e introdução alimentar é o meu sonho. Ainda não se concretizou mas sei que é possível a nível institucional, fazer parte da saúde das famílias portuguesas. Se pudermos promover o aleitamento materno como alimento exclusivo nos primeiros seis meses estamos a favorecer o desenvolvimento de uma criança de forma que nem imaginamos.

 

Como nos disse no início da entrevista, vive há dois anos em Gaia. Que locais tem a cidade de Gaia para oferecer?

Eu gosto muito do mar. O local onde vivo (Canidelo) é perto do mar, desfruto de Gaia, e gosto do cheiro da maresia e o contacto tão próximo da natureza que esta cidade promove é bom e é saudável. Na Venezuela temos o mar do Caribe, aqui em Gaia, temos o Rio Douro e o mar junto a Afurada. No meu primeiro dia gostei de caminhar desde a ponte Dom Luís até ao cais de Gaia, e ir até ao Porto. Ficamos muito perto das duas bonitas cidades, Gaia e Porto.

 

O seu filho David também gosta de viver em Gaia, ele também participa nessas atividades?

Sim, ele gosta muito de viver aqui, é o meu maior parceiro nas caminhadas desde pequenino.

 

 

Como promoveria a cidade de Gaia?

Penso que Gaia é uma cidade com ambiente cálido (quentinho), pode-se caminhar tranquilamente, descer a Avenida da República, subir o Jardim do Morro, apreciar as vistas da ponte e ir até ao Porto tão facilmente. Em Canidelo, onde vivo, gosto de passear pela Afurada e apreciar as aves que proliferam por lá. Acho que são locais para estudar o habitat natural.

 

Sim, esse é um local muito visitado, aliás, uma imagem de marca são os típicos “estendais” na Afurada…

Os gaienses são muito simpáticos e compreensíveis. Quando vim viver para Gaia, tinha uma preocupação por causa do meu espanhol, mas eles diziam-me: “Por favor, pode falar em espanhol, nós percebemos, tranquilo… depois vai aprender a falar o português”. Então, esta recetividade, não se vê em todo o lado, aqui as pessoas são muito abertas com os estrangeiros.

 

Faz parte da equipa de IASD de Gaia no projeto Expo Saúde. Já promoveram temas interessantes em palestras anteriores, pode-nos revelar quais as próximas palestras a decorrer em Vila Nova de Gaia?

Em fevereiro, tivemos uma palestra sobre inteligência emocional pela Dr.ª Susana Cardoso Psicóloga. Em março tivemos a presença de uma nutricionista Dr.ª Joana Maranhaz que nos falou da importância da vitamina B12 e no mês de abril realizamos um workshop de cozinha vegetariana. O projeto Expo Saúde é um projeto de medicina preventiva. Explicamos que existem os 8 remédios disponíveis na natureza ao alcance de todos. Temos a alimentação saudável, o exercício, água, sol, temperança, ar, descanso e confiança. Estejam atentos, em breve daremos informações de datas e locais.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com