A terminar o seu primeiro mandato e já a pensar no próximo, Dário Bernardo não esconde que é sua intenção continuar a presidir aos destinos da Junta de Freguesia da Lomba de São Pedro e garante que “ideias e projetos não faltam”. Apesar de se encontrarem mais afastados do centro, o autarca não vê isso como um problema e assegura que a cooperação com a Câmara Municipal e com o Governo Regional tem existido e é para manter.

 

 

É, atualmente, presidente e recandidato à Junta de Freguesia da Lomba de São Pedro. Como vê o afastamento da freguesia em relação ao centro do concelho da Ribeira Grande, também longe do coração das grandes decisões?

Neste momento, penso que a distância não é um entrave para as grandes decisões, pois estamos numa era digital e, felizmente, este executivo possui o conhecimento e experiência necessária para estar sempre presente na defesa dos interesses da freguesia, até porque temos tido um bom relacionamento de cooperação com o Governo Regional e a Câmara Municipal da Ribeira Grande.

 

O que leva um jovem a assumir tamanho desafio de presidente da Junta de Freguesia?

Jovem na idade, mas já com alguma bagagem a nível profissional. Há muito tempo que trabalho, já fiz inúmeras coisas, desde vendedor de pão ao domicílio, serviços de camponês, repositor, taxista, técnico de informática, monitor, empregado de balcão e, de momento, desempenho a função de designer de multimédia, guia de turismo e formador na área das tecnologias. Toda essa experiência profissional tem sido uma mais-valia para que possa ter uma outra capacidade de intervenção em gestão autárquica e, claro, que a humildade reside na minha maneira de ser, o que faz com que eu assuma as minhas dificuldades e procure sempre encontrar soluções em pessoas com mais experiência ou conhecimento. Não posso também deixar de realçar toda a equipa que me rodeia, que foi fulcral neste percurso, onde o à vontade na área da gestão e na agricultura foram primordiais neste mandato. Ser presidente de Junta é um cargo de enorme responsabilidade, mas também é uma posição onde podemos contribuir fortemente para o desenvolvimento da freguesia e, por estes factos, enfrentei esta missão como um compromisso de tornar esta localidade um sítio melhor para se viver, de dar a conhecer ao mundo que esta freguesia existe e demonstrar todo o seu potencial agrícola e turístico.

 

Para quem visita a ilha como turista, a Lomba de São Pedro pode tornar-se uma opção?

Sim, já temos algumas atrações turísticas, nomeadamente, o Trilho Pedestre Moinho do Félix, cujas fotos no mapa da Google já contam com mais de 200 mil visualizações, e espero que, num futuro próximo, possamos construir, projetar outros pontos de interesse na freguesia.

 

Como ultrapassou os obstáculos ao gerir uma autarquia onde os recursos financeiros são exíguos?

Felizmente, o executivo possui uma vice-presidente formada em gestão, que está constantemente a monitorizar as contas da autarquia para que todos os investimentos sejam realizados de forma cautelosa e calculosa. E a prova está no fecho de contas referente a 2020, no qual a autarquia transitou de 2020 para 2021 com um saldo positivo. A cooperação com outras instituições tem sido importante na procura das melhores soluções para o desenvolvimento da freguesia.

 

Ao iniciar um mandato, muito se projeto. Agora que está prestes a terminar, como caracteriza o seu exercício?

É um facto que este executivo não tinha experiência a nível autárquico quando iniciou o mandato, mas todo o conhecimento adquirido nas nossas vidas profissionais foram, certamente, uma grande ajuda, desde a gestão, passando pelas novas tecnologias, turismo até agricultura, foram extremamente importantes para ultrapassar os diversos obstáculos ocorridos ao longo deste percurso. Estamos de consciência tranquila, trabalhamos muito, houve erros, houve dúvidas, mas encaramos sempre tudo com humildade, serenidade e disciplina. Nunca descorando as nossas responsabilidades para com a freguesia.

 

Quais são as principais carências e os grandes atributos desta freguesia?

A desertificação tem sido uma das grandes carências da freguesa, contudo, há diversas estratégias a médio longo prazo para que se consiga minimizar este problema e, claro que um dos grandes atributos continua a ser a agropecuária e a agricultura, que é uma das principais fontes de rendimento dos habitantes, que produz, anualmente, cerca de 3 mil toneladas de batata mais os produtos hortícolas.

 

Recomendaria a um grande amigo viver na Lomba de São Pedro?

Claro, e não só. Recomendaria a qualquer pessoa viver cá, é uma freguesia pacata e não fica assim tão longe das cidades, pois de momento temos as estradas que facilitam imenso a circulação, assim como a descentralização de serviços administrativos afetos à Segurança Social, Finanças e outros existentes na freguesia. É uma localidade agradável de se viver.

 

Como vai ser o futuro?

Não sabemos, como o ditado popular diz, “o futuro é escuro”. Mas espero que seja risonho e com muitos projetos benéficos para que contribua fortemente para a inovação e conforto para quem cá habita, para quem nos visita e para quem um dia queira fazer parte desta comunidade.

 

Gostava de continuar a presidir aos destinos desta freguesia?

Sim, caso contrário não me estaria a recandidatar. Na minha modesta opinião, muito foi feito em quatro anos e muito há para fazer no próximo mandato. Mas claro que dependerá sempre da vontade das pessoas em querer que seja eu o representante a nível autárquico da freguesia.

 

Que ambição o move?

A única ambição que me move é o facto de poder tomar decisões que sejam uma mais valia para a localidade que habito e que me viu nascer, sem nunca passar por cima dos meus valores éticos.

 

Em fim de mandato, que projetos concluídos destacaria como sendo uma mais valia para a localidade?

Ainda há muito para se fazer e para se concluir, mas destacaria a requalificação da travessa da Rua do Outeiro, planeamento, execução e projeção do trilho Moinho do Félix, pavimentação da Rua do Poço, manutenção das moradias do bairro, compra de viatura (camião), reforço na aquisição de ferramentas necessárias para pequenas obras, transição digital com ferramentas de suporte online, início da requalificação da antiga sede da Junta, demolição e limpeza de casas degradadas, aquisição de terreno sito na rua da ribeira para construção de parque de estacionamento, apoio administrativo com oferta de serviços afetos à Segurança Social, Finanças, entre outros, celebração de contratos PROSA, FIOS, CTTS com mais de 30 pessoas desempregadas e reforçando ainda toda a manutenção, limpeza de espaços públicos e zonas verdes. No âmbito de reuniões com o Governo Regional, nomeadamente com a secretaria da Agricultura, estamos a trabalhar para a construção de um reservatório de água agrícola com capacidade de 100m3, para potenciar o desenvolvimento deste importante setor na freguesia. Ainda no âmbito da cooperação que temos vindo a trabalhar com o Governo Regional, pretendemos junto da Direção de Habitação e da Câmara da Ribeira Grande desenvolver o projeto de construção de novas habitações para que os mais jovens possam fixar-se na sua freguesia. Posso afirmar que estamos empenhados como sempre a trabalhar afincadamente para o progresso da Lomba de São Pedro em cooperação com as diversas instituições, sejam locais, municipais ou regionais.

 

Para finalizar, que mensagem gostaria de deixar aos eleitores da Lomba de São Pedro?

Quero dizer que podem contar connosco, podem contar com o nosso foco, com a nossa serenidade, humildade e seriedade, para enfrentar novos desafios e interesses da freguesia. Há muitas ideias, há muito para fazer, somos presentes e omnipresentes e acredito que as pessoas farão uma reflexão e uma análise racional. Certamente farão a escolha mais acertada.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com