O vereador da Juventude da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Elísio Pinto, foi eleito pela revista “Noticias Magazine” entre os “Portugueses Extraordinários”. Já anteriormente, tinha sido distinguido com o galardão de melhor autarca de 2011 pelo jornal AUDIÊNCIA, entre muitas distinções. Nesta entrevista, Elísio Pinto demonstra agrado pela juventude gaiense e bastante esperança para o futuro.

 

 

Vila Nova de Gaia é o 3º maior Município do país com a maior população jovem do norte de Portugal. Vale a pena investir em políticas de Juventude? Há jovens com capacidade de mudar o Mundo?

É com grande alegria que todos os dias posso constatar o profundo envolvimento dos jovens nas políticas de juventude de Gaia. Aliás, em Gaia nada é feito sem a prévia auscultação dos jovens. É a melhor dica do mundo: não façam nada sem primeiro ouvirem os jovens. São eles que identificam o caminho a seguir e apresentam projetos e ideias verdadeiramente inovadoras.

Investir em políticas de juventude vale muito mais do que investir no futuro! Trata-se de um investimento no presente. A ação do técnico de juventude, em muitos países do norte da Europa, é felizmente vista do ponto de vista da licenciatura e da especialização. Trabalhar com jovens é um profundo privilégio e é a constatação de que os jovens podem mesmo mudar o mundo. O nosso mundo. Um passo de cada vez.

Iniciativas como as recorrentes limpezas de praia ou “Um Abraço numa carta” partiram dos jovens. É obrigação do Vereador da Juventude ouvir e acarinhar todas as propostas devidamente válidas, tornando-as reais no território. São iniciativas que mudam o mundo e que geram réplicas quer no território quer fora dele. É com entusiasmo que vejo que os jovens de Gaia são os principais responsáveis por uma liderança inclusiva e que positivamente extravasa as fronteiras do concelho.

O Erasmus EU/ON Scaling Up faz esse papel: fruto de uma bem-sucedida candidatura ao programa Erasmus +, estamos a colocar os jovens de Gaia como principais intérpretes de uma aproximação europeia, aos seus programas e aos seus benefícios. Continuamos na vanguarda das políticas de juventude nacionais e internacionais.

 

Como decisor político sente ser a voz de todos os Jovens Gaienses?

Eu não sou a voz dos jovens gaienses dado que eles é que são a sua própria voz. São eles que lideram, gerem, co-gerem e determinam o que são as políticas de juventude do concelho. É para mim um motivo de grande orgulho ser o representante político de um conjunto tão alargado de juventudes. Todavia, seria inoportuno da minha parte tomar-me a voz dos jovens gaienses. Sou, isso sim, mais uma voz que se junta à voz do Presidente da Câmara e a um grupo alargado que reconhece nas políticas de juventude de Gaia um eixo determinante do Município.

 

A sociedade critica muitas vezes os jovens. O que pensa da juventude atual?

A sociedade atual é muito heterógena. Aliás, a própria pandemia trouxe consigo ondas de solidariedade e de impactos positivos e negativos. No entanto, foram os jovens os primeiros a darem o exemplo com uma série de iniciativas altruístas e de grande alcance social. Em Gaia, multiplicamo-nos em ações de sensibilização para os comportamentos necessários tendo em vista a defesa contra a COVID-19. Depois, também foram os jovens os primeiros a levar a mensagem de prudência junto dos menos jovens.

Felizmente em Gaia foram muitos os setores da sociedade que reagiram como os jovens, certamente que esses comportamentos exemplares pela capacidade de resposta contribuíram para diminuir os impactos negativos.

Temos muito a aprender com os jovens. O truque é criar todas as condições para que possam participar ativamente na vida pública. Dar-lhes a possibilidade de intervenção, com a ressalva de que os seus projetos são concretizados na prática. Que há uma voz que os escuta, que os entende, e que implementa os seus projetos. Não o contribuir por contribuir. Em Gaia, temos feito essa ponte e os jovens têm demonstrado que, efetivamente, estão na linha da frente do que de melhor a sociedade pode oferecer.

 

Fale-nos do Orçamento Participativo para os jovens de Gaia que já é um grande sucesso em Portugal.

O Gaia Orçamento Participativo Jovem é uma oportunidade que o Município possibilita para que os jovens sejam verdadeiros agentes de mudança. Neste momento já vamos na terceira edição: na primeira registamos 55 propostas e um total de 318 votos; a segunda edição superou todas as expectativas com 98 propostas e 2355 votos o que, neste último se traduziu num aumento de 641%.

É com grande agrado que verificamos a quantidade de propostas e, também, o facto de as mesmas estarem cada vez mais exigentes. Só este ano a Comissão Técnica tomou como válidas 38 propostas nas três áreas a concurso. Por falar em áreas, de referir que a própria área do “Meio Ambiente e da Sustentabilidade” surgiu porque, aquando da primeira edição, verificamos um grande número de propostas desse âmbito, pelo que a criação dessa área representou desde logo uma prioridade da vontade dos jovens.

O Gaia Orçamento Participativo é uma ferramenta de capacitação e de empoderamento dos jovens, que desagua em projetos de benefício para o concelho. Estamos a concretizar os projetos de 2019 e 2020 com grande entusiasmo e dentro dos prazos previstos. Entretanto, estamos a acompanhar a fase de votação e podemos salientar que estamos com uma grande adesão.

Recentemente, recebemos um convite que nos encheu de orgulho. A 10 ª Conferência da Intercity Youth, que se realiza no âmbito da presidência eslovena da União Europeia, convidou-nos para apresentar o Gaia Orçamento Participativo Jovem num dos seus eventos de maior prestígio. É bom ver que continuamos na primeira linha dos grandes projetos europeus.

 

Muitos países e elementos do governo português escolhem Gaia como exemplo das suas políticas da juventude. A sua visão, o seu grande objetivo é posicionar Gaia como referência nacional e internacional na área da juventude?

 

A nossa visão passa, sobretudo, por criar todas as condições para um irreversível processo de capacitação de todas as juventudes do concelho. Aliás, posso mesmo adiantar que de momento tal já irá acontecer. Depois, é com grande alegria que constatamos solicitações permanentes por parte de parceiros nacionais e internacionais. Mantemos relações privilegiadas com os grandes organismos de juventude de Portugal e registamos com muita satisfação os constantes elogios de que somos alvo por parte do Governo de Portugal.

 

A nível internacional, a nossa influência faz-se sentir através de solicitações regulares, que muito nos honram. Para além do convite para apresentar o Gaia Orçamento Participativo Jovem na Eslovénia, saliento a nossa participação no Bazar Europeu de Juventude a 21 de julho, onde fomos o único município português presente. Fomos também selecionados para participar no Seminário “Democracia Recarregada”, que pretende potenciar a democracia de forma mais forte em toda a Europa.

 

Estamos em projetos europeus de referência como o Edu4Europe, a European Platform for Learning Mobility, o Europe Goes Local, isto para além de todas as solicitações informais que recebemos diariamente. Em outubro, vamos receber a Salto Tool Fair, uma iniciativa que vai reunir grandes especialistas de juventude de toda a Europa. Estivemos, também recentemente, como oradores convidadores em seminários de juventude promovidos por Sintra e Alcochete. Em todas estas participações destacamos uma premissa essencial: ouçam os jovens. Os seus contributos e propostas. São eles que têm de liderar todo o processo. Como acontece em Gaia.

 

 

 

Uma iniciativa da sua vereação foi levar milhares de crianças das escolas básicas do concelho a Lisboa, para visitar o Oceanário. Para muitas foi a primeira vez. Como viveram esses momentos? Algumas crianças disseram algumas palavras que o deixaram feliz?

Momentos absolutamente inesquecíveis. A visita ao Oceanário de Lisboa é uma recompensa justa pela conquista de uma importante etapa da vida: a conclusão do 4º ano. Queremos transmitir aos jovens que o estudo e a dedicação compensam, mas que, naturalmente, também pretendemos que tenham o equilíbrio necessário para usufruir da vida na sua plenitude. A viagem ao Oceanário – que nos últimos dois anos não se realizou devido à pandemia – traduz-se num evento que vale também pela inesquecível viagem de comboio e por todo o convívio.

 

Algumas crianças transmitiram-me que tinha sido o melhor dia das suas vidas. Todas, no geral, aplaudiram a iniciativa e deixaram Lisboa de sorriso no rosto. Essa é a nossa principal recompensa. Apesar da pandemia, e de uma forma simbólica, fizemos questão de recompensar os finalistas do 4º ano com um relógio. Sabemos que não substitui a viagem de finalistas mas o Município não poderia deixar de assinalar este momento tão marcante.

 

 

Tem apoiado e realizado grandes iniciativas em Gaia, como a que decorreu no pavilhão municipal do Parque da Lavandeira, o encontro nacional das associações juvenis. Estas parcerias são importantes para dar “asas” a projetos dos jovens?

Temos mantidos relações de grande proximidade com os principais organismos nacionais. Com a FNAJ, CNJ, IPDJ ou mesmo com o Governo, temos trabalhado em conjunto para alavancar alguns eventos de índole nacional. O trabalho em rede e em parceria é fundamental para que os nossos jovens tenham ainda mais oportunidades a nível nacional. O Encontro Nacional de Associações Juvenis foi uma eficaz forma de todos se conhecerem e de criarem novas pontes para os diferentes projetos. É lógico que eventos deste género também são reprodutivos do ponto de vista cultural, turístico e social. Representam um cunho de liderança inclusiva que queremos potenciar de uma forma cada vez mais firme. Por exemplo, o futuro Centro Municipal de Juventude está a ser construído de acordo com os contributos e com as sugestões dos jovens, depois de termos realizado uma sessão de trabalho online liderada pelos próprios.

 

 

O “Roteiro do Movimento Associativo” pretende estabelecer uma maior proximidade entre o município e os dirigentes associativos. Gaia tem centenas de associações, agrupamentos de escuteiros. Onde arranja tempo para visitar e motivar centenas de milhares de jovens?

Servir Gaia é um gosto e uma motivação constante! As associações e as coletividades são fundamentais para a coesão social do território, realizando um trabalho notável e insubstituível. O Município tem uma gratidão imensa em relação a todos aqueles que diariamente trabalham nas associações e nas coletividades, pois são eles verdadeiros braços armados do Município.

 

O roteiro é uma forma de estabelecer uma ligação de proximidade e de mostrar o empenho e a dedicação do Município na resolução de todos os problemas. Queremos conhecer tudo e todos e apresentar as melhores soluções. Trabalhar em parceria. Espalhar a positiva mensagem de que integrar os quadros sociais de uma coletividade é um privilégio enorme, um lucro social que devemos apadrinhar e potenciar. Em Gaia, destacamos o papel de todos e a necessidade que todos têm em fomentar o que de melhor o concelho tem: as suas gentes.

 

 

Marca presença a representar o Dr. Eduardo Vítor, Presidente da Câmara Municipal na despedida aos finalistas das muitas escolas do concelho de Gaia. Como vive esses momentos?

 

Num momento tão particular como aquele que atravessamos, é nosso dever tudo fazer para que os jovens usufruam daquilo a que têm direito. Com prudência, com todas as salvaguardas, é nossa obrigação sublinhar a passagem por momentos tão importantes como a conclusão do 12º ano. É uma nova etapa da vida, uma fase determinante para o ser humano, que naturalmente devemos assinalar independentemente das contingências que atravessamos. Nestes últimos dois anos, assinalamos a data com a entrega de um set de colunas de som, um ato simbólico que representa o nosso compromisso e estima para com os milhares de estudantes que concluíram o ensino secundário.

 

Como Vereador, vivo estes momentos com um grande entusiasmo. É, de facto, um enorme privilégio representar o Presidente da Câmara, deixando o nosso compromisso e a nossa gratidão pelo empenho dos jovens, bem como a garantia de que estaremos sempre ao seu lado para o que necessitarem. Em Gaia, valorizamos todas as juventudes e todos os seus sonhos.

 

 

Quais são os grandes projetos e iniciativas para os jovens de Gaia?

O futuro Centro Municipal de Juventude será o corolário de todo um trabalho que temos desenvolvido. Temos atividades, temos reconhecimento, temos uma dinâmica imparável, mas falta-nos um espaço que represente a agregação de todas as juventudes de Gaia, que seja diariamente frequentado por jovens, por dirigentes de associações juvenis, por todos. Para lazer, para estudo, para cultura, para delineação de projetos ou para novos contactos.

Os jovens de Gaia já provaram que estão à altura de tão grande desafio: um espaço das juventudes que servirá para uma ainda maior alavancagem dos seus projetos e das suas ideias. Foram eles e são eles que tudo definem para o novo Centro: seja ao nível das valências, da decoração ou do calendário de atividades. Será um espaço definido de acordo com as sugestões e contributos.

Os jovens têm trabalhado em parceria com uma equipa técnica da empresa municipal Gaiurb. Tem sido uma fórmula de sucesso! Estou certo de que o novo Centro será uma referência nacional e internacional em termos de capacitação e empoderamento jovem.

 

 

O que o motiva diariamente na sua nobre missão?

Os jovens surpreendem-me todos os dias com as suas ideias, os seus projetos e, sobretudo, com a sua mentalidade altruísta. A pensar no próximo de uma forma descomprometida. Assim sendo, cada dia de trabalho é um profundo privilégio e uma emoção tremenda. Não há palavras para descrever a enorme gratidão que sinto por desempenhar tão gratificante missão. No entanto, todo este sentimento traz-me um sentido de responsabilidade acrescido. Todos os dias tento fazer uma autoreflexão e uma autocrítica. É um trabalho muito minucioso, mas extremamente enriquecedor. Sou um Vereador feliz e realizado. A minha gratidão a quem me conferiu tão nobre missão!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com